Conab identifica tendência de aumento nos preços em fretes marítimos

Os preços praticados no mercado para o transporte marítimo de cargas apresentam tendência de alta. A elevação pode superar 20% a depender da rota e do produto a ser transportado. De acordo com o Boletim Logístico, divulgado nesta terça-feira (22) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para os fertilizantes removidos da Europa para o Brasil, a elevação foi em torno de 10%, passando de 46 para 50 dólares por tonelada. Já se a origem dos produtos é o Egito, o aumento passa de 20%, chegando a 12 dólares por tonelada.

“Essa subida nos preços do frete marítimo é explicada não só pelo aumento nos valores do barril de petróleo, que impacta no combustível, mas também pela menor quantidade de rotas disponíveis, principalmente na região do Mar Negro. Com isso há uma maior demanda por outros percursos, além de uma menor disponibilidade de navio”, explica o superintendente de Logística Operacional da Companhia, Thomé Guth.

O boletim também destaca uma expectativa de uma maior pressão na demanda por frete no país, principalmente no segundo semestre, período em que o volume de embarques dos produtos para exportação é maior. “Desta feita, há uma tendência de aumento do volume de exportação do milho brasileiro, o que impactará na movimentação de cargas para as principais rotas de exportação. Se observarmos temos uma indicação de alta nos valores do prêmio de porto para o cereal, tanto em Santos quanto em Barcarena, para o mês de julho. Isto mostra um cenário de forte interesse dos importadores pelo milho brasileiro, sobretudo diante das incertezas dos efeitos da guerra”, ressalta Guth. “Como já se espera um volume recorde de exportação de milho para a safra atual, de acordo com o último levantamento de safra da Conab, de 35,0 milhões de toneladas, um novo incremento pode ocasionar uma demanda ainda maior por frete, bem como uma maior movimentação nos portos nacionais, inclusive nos portos do Arco Norte, visto que boa parte deste volume exportado tende a ter origem no Mato Grosso”.

Mercado Interno – No cenário doméstico, o preço dos fretes rodoviários continua em movimento de alta.  Dentre os motivos para a valorização verificada estão a menor disponibilidade de veículos, diante do avanço da colheita da soja no país, bem como a elevação nos preços dos combustíveis, diante do aumento do barril de petróleo no mercado externo.

“Em Mato Grosso, a colheita da soja atingiu seu pico em fevereiro. O que se verifica é que o expressivo fluxo de caminhões para o porto de Miritituba (PA) tem provocado o estrangulamento na descarga, gerando longas filas para desembarque, aumentando o tempo de espera. Essa maior estadia está sendo compensada com o aumento do frete”, diz.

Segundo o boletim, a dinâmica de preços para os terminais ferroviários nos municípios de Rondonópolis e Alto Araguaia também seguiu a linha de incremento. “Devido à baixa oferta de frete-retorno, o que torna a rota pouco atrativa, a elevação no valor praticado para a remoção ocorre para que o transporte da soja seja mantido. Dessa maneira, a junção entre colheita e a dinâmica de escoamento para exportação deve manter os preços elevados durante boa parte de março”, pondera o superintendente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Revista PecSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data
AviSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

boi (1)

Ministério da Agricultura suspende vacinação contra a Febre Aftosa em seis estados e no DF a partir de novembro de 2022

A ação faz parte do projeto de tornar todo o país livre de febre aftosa sem vacinação até 2026. Página 20.

rp-1

Sistema de Gestão e Mobilidade à frente da Agroindústria 4.0

A transformação digital através de Sistemas de Gestão tem sido essencial para alavancar todos os negócios relacionados à agroindústria. Página 22.

 

 

rp2

Pesquisa auxilia na identificação de genes relacionados à resistência à babesiose bovina

O rápido diagnóstico sobre quais parasitos atacam os animais auxilia o criador a identificar o tipo de agente logo no início dos sintomas. Página 27.

rp3

Uso de tecnologias na pecuária contribui para reduzir metano e diminuir impacto no clima

Em 2021, durante a 26ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP26, o Brasil assumiu o compromisso de reduzir 30% das emissões de metano até 2030. Página 40.

boi (6)

Estudo demonstra impactos socioeconômicos da recuperação de pastagens pelo Plano ABC

Além da mitigação de emissões, a tecnologia permitiu o aumento da renda do produtor rural e da produtividade nas pecuárias de corte e de leite. Página 36.

rp5

O condomínio de Produtores Rurais: As peculiaridades e os riscos assumidos

O agronegócio é uma potência no PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, sendo o único setor que continuou em crescimento durante a pandemia. Página 44.

rp6

Contrato a Termo: Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

Contrato a Termo: Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

O novo sistema pode ser usado tanto para garantir um preço fixo na compra com entrega futura quanto para assegurar a fixação de preços de acordo com termos pré-definidos em edital. Página 48.

rp7

Qualidade da água e sua influência no sucesso da pecuária

Elemento fundamental para a vida dos seres vivos, a água é um componente muito importante para a boa performance e para a saúde do rebanho. Página 30.

Fale agora no WhatsApp