Entidades e secretários gaúchos assinam manifesto para criação da RS FoodTech Alliance

Um grupo de entidades, em conjunto com secretários do Estado, assinaram na semana passada um manifesto firmando compromisso em formar uma rede chamada RS FoodTech Alliance, que buscará tornar o Rio Grande do Sul um polo de excelência quando o assunto é inovação em sistemas alimentares, cadeia que vem se consolidando no século XXI. O ato ocorreu dentro da programação do primeiro dia do South Summit Brasil, em Porto Alegre.

As foodtechs são empresas que inovam na forma de produção e consumo de alimentos e agregam valor aos setores agropecuário e gastronômico. Atualmente, há cerca de 30 startups no Rio Grande do Sul e 300 no Brasil, promovendo negócios associados à cadeia da alimentação.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Domingos Velho Lopes, que participou da assinatura do manifesto, destacou que a Secretaria, sendo responsável pelo fomento e desenvolvimento de um segmento econômico que gera cerca de 40% do PIB gaúcho, se coloca como parceira para que esta iniciativa gere bons frutos. “Não poderíamos nos furtar de trabalhar qualquer item que venha incentivar inovação e tecnologia e a união de forças para o crescimento do Estado, sob o ponto de vista ambientalmente correto, socialmente adequado, de união de entidades e de fomento à atividade agrossilvipastoril como o principal mote das nossas atividades”, acrescentou Lopes.

O diretor executivo da Agência de Desenvolvimento e Inovação Local (Agil), Cristiano Zanin, um dos coordenadores deste movimento, explicou que a intenção da criação da RS FoodTech Alliance é aproximar os ecossistemas de inovação e de conhecimento, mapeando as startups ligadas aos alimentos e promovendo uma integração entre todos os atores. “Sabemos da importância do agro e da inovação, mas ainda não estão aprofundadas no Rio Grande do Sul as questões relacionadas às tecnologias voltadas aos alimentos, as Foodtechs, que são uma vertente muito importante, capaz de gerar mais valor agregado à cadeia de alimentos no Estado”, avalia Zanin.

A RS FoodTech Alliance nasce agregando conhecimento de quatro polos do Rio Grande do Sul – Lajeado, Porto Alegre, Rio Grande/Pelotas e Santa Maria, envolvendo instituições como Tecnovates/Univates; Tecnopuc/Pucrs; Universidade Federal de Santa Maria; Embrapa Alimentos; Sebrae RS; secretarias estaduais da Agricultura (Seapdr), do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e da Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT), prefeituras e outras entidades.

Para o representante do Coletivo Sabores Urbanos, Rogério Carvalho de Assis Brasil, o Rio Grande do Sul larga na frente de outros estados ao criar esta rede de fortalecimento deste mercado. “O Rio Grande do Sul é expoente neste meio, trabalhando com alimentos do futuro, fazendo com que tenhamos uma infinidade de processos mitigados para levar cada vez mais alimentos saudáveis para a mesa dos brasileiros e do mundo”, acrescentou Assis Brasil, ao mencionar exemplos de startups que trabalham com beneficiamento do bagaço da azeitona, microencapsulação de probiótico, inserção de ômega 3 em produtos cárneos e hambúrgueres à base de plantas.

Além de mapear potenciais, a RS FoodTech Alliance pretende desenhar políticas e programas de apoio, buscar linhas de financiamentos e incentivar a criação e expansão de negócios inovadores em todas as áreas dos sistemas alimentares.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Revista PecSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data
AviSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

pecsite1

Soluções da Agrosys garantem maior produtividade para fábricas de ração

Com 25 anos de experiência, a empresa fornece soluções tecnológicas de gestão integrada para toda a cadeia agroindustrial. Página 16.

pecsite2

Rio Grande do Sul: novo período para Declaração Anual de Rebanho é necessário para modernizar sistema

Agora a declaração deverá ser feita de 1º de junho a 31 de outubro. Página 20.
pecsite3

ENTREVISTA: Juliano Sabella é o novo presidente da ASBRAM

Novo presidente para o biênio 2022/2023 já compôs a mesa diretora da associação por duas vezes. Tem agora a missão de alinhar o crescimento do setor com uma nova demanda mundial por produtos sustentáveis. Página 22.

carne (3)

Exportações brasileiras de carne bovina encerram 2021 com alta de 9% em receita e queda de 7% em volume

De acordo com a Abrafrigo, país movimentou 1,867 milhão de toneladas em 2021, diante de 2,016 milhões de toneladas em 2020, ano de recorde na exportação. Página 26.

pecsite4

Pecuária assertiva: Mais pasto e menos cocho!

A pecuária brasileira enfrenta hoje um grande desafio, que é manter seus sistemas cada vez mais produtivos sem abrir novas áreas.Página 30.
pecsite5

Período das águas influencia no aumento da infestação de carrapatos

Tratar os animais, assim como as infestações em pasto, de forma planejada é a melhor forma de reduzir o problema. Página 32.
pecsite6

Fazendas da cadeia da carne que adotam tecnologias sustentáveis sequestraram mais carbono do que emitiram

Aumenta a demanda dos consumidores e mercados sobre a sustentabilidade das cadeias produtivas de alimentos e o interesse dos produtores na adoção de práticas sustentáveis. Página 36.
boi

Estratégias para mitigação do estresse em bovinos recém-chegados em confinamento após transporte

Entre os benefícios está o aumento da eficiência produtiva, através do atendimento de exigências nutricionais para alto ganho em carcaça com dietas balanceadas e o uso de aditivos. Página 40.