Investidores identificam riscos ESG em empresas de carnes

FAIRR Initiative identificou melhora generalizada em companhias de todo o mundo, mas uso de água e gestão de resíduos ainda estão longe do ideal

Investidores responsáveis por US$ 45 trilhões em ativos avaliaram que as principais empresas de carnes brasileiras seguem oferecendo riscos ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês), mas apresentaram melhoras em 2021. A conclusão é de um levantamento sobre 60 companhias globais da cadeia conduzido pela coalizão de investidores FAIRR Initiative. As empresas avaliadas representam 24% do mercado global de pecuária.

O grupo criou um índice que mede riscos e oportunidades nas empresas. As companhias são classificadas como alto, médio ou baixo risco ou como “melhores práticas”, com uma nota de 0 a 100%. A Marfrig saiu de “médio” para se tornar uma empresa de “baixo risco” ESG. Sua nota subiu 8 pontos percentuais, mas como outras empresas melhoraram mais, ela caiu de quarto para quinto lugar no ranking.

JBS, BRF e Minerva foram classificadas como “médio risco”. A nota da JBS subiu 10 pontos, mas a empresa caiu para a 11ª posição porque outras melhoraram mais. Foi o caso da BRF, que subiu 11 pontos e trocou de posição com a JBS, alcançando a nona colocação. A Minerva saiu da zona de “alto risco” com uma alta de 30 pontos e chegou ao 25º lugar.

Houve uma melhora generalizada – o índice subiu para 87% das empresas globais -, mas metade delas ainda é de “alto risco” ESG. Em geral, as empresas avançaram mais nas condições de trabalho e medição e metas de emissões de gases estufa.

Desafio principal

No Brasil, o desafio central é relacionar a origem dos animais com desmatamento. Segundo o relatório, o monitoramento das empresas não identifica de 85% a 90% do problema nas cadeias. Globalmente, o maior desafio é de uso de água e gestão de resíduos. Estima-se que os animais produzam duas vezes mais resíduos que os humanos no planeta. Porém, no quesito água, 94% das empresas são de “alto risco”, e em resíduos, 98% estão nessa categoria.

Maria Lettini, diretora executiva da iniciativa, disse ao Valor que os resultados das brasileiras foi “encorajador” e reflete a pressão de investidores, reguladores e consumidores. Porém, ela ressaltou que os investidores esperavam progresso maior no rastreamento dos animais. “Quanto mais uma empresa deixa de lidar com riscos ESG, mais provável que os investidores reduzam ou tirem seus investimentos dela”.

A Marfrig afirmou que seu índice reflete “ações e resultados já alcançados pelo Plano Marfrig Verde+”, que já mapeou mais de 60% dos produtores diretos e indiretos na Amazônia e 47% no Cerrado. A empresa disse ainda que adota ações “para diminuição das emissões de metano no escopo 3” e tem a “melhor avaliação” no BBFAW, maior ranking global de bem-estar animal.

A Minerva disse que “segue empenhando esforços” contra “o desmatamento ilegal e as mudanças climáticas” e que é a única a usar “informações geográficas em todos os biomas no Brasil e no Paraguai”, onde monitora 14 milhões de hectares e que investe em “ferramentas e tecnologias” com “foco em uma produção cada vez mais sustentável e de baixo carbono” e iniciativas de bem-estar animal.

A JBS afirmou que sua nota “reflete a prioridade que as questões ESG” recebem na companhia. “A sustentabilidade, definitivamente, passou a ser a nossa estratégia de negócios”. Segundo a empresa, ela “já monitora seus fornecedores há mais de dez anos” e “está estendendo esse controle aos fornecedores de seus fornecedores” com tecnologias.

Em nota, a BRF lembrou que tem uma série de iniciativas sustentáveis em suas operações, entre elas o compromisso em ser “net zero” em emissões de gases de efeito estufa até 2040, e lembrou que não atua com bovinos, somente aves e suínos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista OvoSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data
AviSite
PecSite
SuiSite

Revista OvoSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

boi (1)

Ministério da Agricultura suspende vacinação contra a Febre Aftosa em seis estados e no DF a partir de novembro de 2022

A ação faz parte do projeto de tornar todo o país livre de febre aftosa sem vacinação até 2026. Página 20.

rp-1

Sistema de Gestão e Mobilidade à frente da Agroindústria 4.0

A transformação digital através de Sistemas de Gestão tem sido essencial para alavancar todos os negócios relacionados à agroindústria. Página 22.

 

 

rp2

Pesquisa auxilia na identificação de genes relacionados à resistência à babesiose bovina

O rápido diagnóstico sobre quais parasitos atacam os animais auxilia o criador a identificar o tipo de agente logo no início dos sintomas. Página 27.

rp3

Uso de tecnologias na pecuária contribui para reduzir metano e diminuir impacto no clima

Em 2021, durante a 26ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP26, o Brasil assumiu o compromisso de reduzir 30% das emissões de metano até 2030. Página 40.

boi (6)

Estudo demonstra impactos socioeconômicos da recuperação de pastagens pelo Plano ABC

Além da mitigação de emissões, a tecnologia permitiu o aumento da renda do produtor rural e da produtividade nas pecuárias de corte e de leite. Página 36.

rp5

O condomínio de Produtores Rurais: As peculiaridades e os riscos assumidos

O agronegócio é uma potência no PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, sendo o único setor que continuou em crescimento durante a pandemia. Página 44.

rp6

Contrato a Termo: Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

Contrato a Termo: Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

O novo sistema pode ser usado tanto para garantir um preço fixo na compra com entrega futura quanto para assegurar a fixação de preços de acordo com termos pré-definidos em edital. Página 48.

rp7

Qualidade da água e sua influência no sucesso da pecuária

Elemento fundamental para a vida dos seres vivos, a água é um componente muito importante para a boa performance e para a saúde do rebanho. Página 30.

Fale agora no WhatsApp