Valor da arroba do boi gordo se mantém firme apesar do período seco

Exportações brasileiras de carnes continuam em ritmo forte

No período de entressafra do boi gordo, entre junho e novembro, há uma piora na qualidade das pastagens, levando os pecuaristas a aumentarem a oferta de animais no mercado. Com isso, costuma ocorrer uma queda nas cotações da arroba do boi, o que geralmente, se reflete numa baixa do preço da carne para o consumidor em geral. Mas este ano, vários fatores vêm influenciando no mercado do boi e os preços do produto seguem firmes.

O coordenador estadual de Bovinocultura da Emater-MG, Nauto Martins, diz que, apesar da má qualidade das pastagens nesta época, o mercado do boi gordo continua estável. “Tem animais disponíveis para venda, mas os custos de produção subiram muito e as exportações continuam sólidas, por isso o preço da carne não tem cedido”, explica Nauto.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, as vendas externas de carne bovina in natura somaram 153,19 mil toneladas em maio, uma ligeira queda de 2,74% frente ao mês anterior, mas uma forte elevação em relação a maio de 2021, 20,83%. Outro fator importante é que o preço pago pela carne brasileira atingiu o recorde da série histórica da Secex, se aproximando de US$ 7 mil por tonelada. Com a subida do dólar, o valor pago pela proteína também foi o máximo da série histórica, atingindo R$ 34,3 mil/tonelada.

Alta internacional

Em Minas Gerais, no período de janeiro a abril de 2022, as exportações de carnes chegaram a US$ 492 milhões, com a venda de 130 mil toneladas. O segmento de bovinos apresentou incremento de 66% na receita e de 30% no volume. Já o de aves registrou 41% na receita e 15% nos embarques. “Por causa da Covid, os chineses estão sendo rigorosos na fiscalização, inclusive descredenciando algumas plantas de frigoríficos. Mas as exportações continuam firmes, não só para a China como para outros países”, salienta Nauto. Diferentemente das exportações, a demanda doméstica de carne bovina segue enfraquecida, devido aos fatores macroeconômicos e aos valores mais atrativos das carnes concorrentes.

Aumento dos custos de produção

No dia 15 de junho, a cotação da arroba do boi teve um preço médio de R$298,75 no Triângulo Mineiro e de R$291,00 na região Central de Minas, segundo a Unidade de Planejamento e Estratégia Corporativa, da Emater-MG. O coordenador da Emater-MG comenta que outro fator que tem fortalecido as cotações é a alta dos custos de produção. “O preço dos fertilizantes usados na adubação de pastagens subiu muito, assim como os combustíveis. E, no último ano, os valores do milho e da soja, que são utilizados na alimentação de bovinos, principalmente em confinamentos, tiveram uma forte valorização”, explica.

O coordenador de Bovinocultura da Emater-MG lembra que, onde houve uma redução nas despesas do pecuarista, foi no custo de reposição dos animais. “O preço do bezerro está caindo. Em seis meses, foi de R$2900,00 para R$2465,00 (nelore, de 8 a 12 meses). Era uma queda de certa forma esperada, pois houve uma grande valorização no ano passado e agora o mercado está se normalizando”, justifica Nauto. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP), o preço do bezerro caiu 25,2% no Brasil em um ano.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Revista PecSite

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data

Busca por palavra chave ou data

Selecione a Data
AviSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

boi (1)

Ministério da Agricultura suspende vacinação contra a Febre Aftosa em seis estados e no DF a partir de novembro de 2022

A ação faz parte do projeto de tornar todo o país livre de febre aftosa sem vacinação até 2026. Página 20.

rp-1

Sistema de Gestão e Mobilidade à frente da Agroindústria 4.0

A transformação digital através de Sistemas de Gestão tem sido essencial para alavancar todos os negócios relacionados à agroindústria. Página 22.

 

 

rp2

Pesquisa auxilia na identificação de genes relacionados à resistência à babesiose bovina

O rápido diagnóstico sobre quais parasitos atacam os animais auxilia o criador a identificar o tipo de agente logo no início dos sintomas. Página 27.

rp3

Uso de tecnologias na pecuária contribui para reduzir metano e diminuir impacto no clima

Em 2021, durante a 26ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP26, o Brasil assumiu o compromisso de reduzir 30% das emissões de metano até 2030. Página 40.

boi (6)

Estudo demonstra impactos socioeconômicos da recuperação de pastagens pelo Plano ABC

Além da mitigação de emissões, a tecnologia permitiu o aumento da renda do produtor rural e da produtividade nas pecuárias de corte e de leite. Página 36.

rp5

O condomínio de Produtores Rurais: As peculiaridades e os riscos assumidos

O agronegócio é uma potência no PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, sendo o único setor que continuou em crescimento durante a pandemia. Página 44.

rp6

Contrato a Termo: Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

Contrato a Termo: Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

O novo sistema pode ser usado tanto para garantir um preço fixo na compra com entrega futura quanto para assegurar a fixação de preços de acordo com termos pré-definidos em edital. Página 48.

rp7

Qualidade da água e sua influência no sucesso da pecuária

Elemento fundamental para a vida dos seres vivos, a água é um componente muito importante para a boa performance e para a saúde do rebanho. Página 30.

Fale agora no WhatsApp